Será que é tarde demais pra se tornar um desenhista?

O que você faz quando todas as fibras do seu ser te chamam para seguir seus sonhos, mas a maioria das pessoas que você ama e confia  não te apoiam? Você ignora seus avisos, no entanto racional? Ou você sacrifica seus sonhos em prol da harmonia?

Esta questão atormentou a artista Peggy Moore nos primeiros anos de sua vida. Ela descobriu a sua paixão pela arte em uma idade jovem, mas nunca pode obter o apoio de sua mãe. Mesmo depois que ela ganhou o terceiro lugar no Concurso de Arte Nacional dos Estudantes, a mãe dela ainda permaneceu cética quanto à praticidade da arte. Para Peggy, no entanto, a vitória era uma prova de que sua paixão poderia um dia ser mais do que apenas um hobby.

Ela continuou a aprimorar suas habilidades ao longo do ensino fundamental e médio, mas os avisos de sua mãe e os medos do fracasso a impedia de investir plenamente no seu talento.

Sua mãe pediu a ela para seguir uma carreira que iria colocar comida na mesa e pagar as contas, algo seguro. Ela então foi trabalhar como contadora, um plano de carreira que Peggy sentia era “a alma de sucção.”

Peggy passou seus vinte anos começando uma carreira e uma família, ainda agarrada ao seu amor pela arte. Ela entrou em competições e até ganhou algumas, mas a vitória nunca foi seu objetivo. Para Peggy, a arte foi e sempre tinha sido um lançamento, e agora, com as tensões da vida chegando, ela precisava de arte mais do que nunca.

Foi um amigo que reconheceu esta necessidade na vida de Peggy. Ele viu seu talento e lhe pediu para apresentar seu portfólio para a Escola Virginia Commonwealth University for the Arts. Ela obedeceu e, para sua surpresa, foi aceita no programa. Ela começou seu primeiro estudo formal da arte e rapidamente tornou-se mais confiante em suas habilidades como artista.

Seus instrutores desempenharam um grande papel em ajudar a fazer uma arte pessoal. Ela começou a criar para si e para permitir que suas emoções  brilhassem através de seus retratos. Seu trabalho melhorou drasticamente, e ao longo dos dois semestres ela foi capaz de frequentar a escola de arte. A falta de financiamento obrigou-a a voltar para a labuta das nove às cinco, mas ela saiu ”armada” com uma melhor compreensão da arte e um forte desejo de compartilhar seu dom com os outros.

Peggy continuou a trabalhar na área financeira por mais de 40 anos, até se aposentar aos 62 anos de idade. Com a aposentadoria veio a materialização do seu sonho de concentrar sua energia em sua arte. Apesar de sua mãe, persuadindo a levar a uma escolha de carreira, que ela não teria escolhido para si mesma, ela agora vê o lado positivo disso. O que poderia ter sido um grande obstáculo provou ser um aliado. Seus anos de experiência em negócios e finanças têm proporcionado a ela, as habilidades necessárias para formar preço e vender suas obras de arte.

Quando você segue seus sonhos, parece que você está lutando uma batalha perdida?

Bem, para Peggy Moore levou algum sacrifício e muita paciência, mas ela seguiu de qualquer maneira. Seu sonho assumiu diversas formas ao longo dos anos e, às vezes parecia que ela seria esmagada. Hoje, Peggy sente que os obstáculos que tem enfrentado apenas fizeram seu sucesso mais doce.

É importante lembrar que seus sonhos não têm data de validade. Os obstáculos enfrentados na primeira metade da vida não têm que assolar a segunda metade. Arte e criatividade são simplesmente uma evidência tangível de suas experiências, das coisas que você já viu, tocou, cheirou, e ouviu. Provavelmente, você tem mais inspiração para desenhar do que você jamais imaginou.

Vamos deixar que a experiência de Peggy seja uma lição para você. Na verdade, esqueça isso, deixe a sua própria experiência ser uma lição para você! Você sempre encontrou desculpas para se manter longe de seu sonho? É hora de dizer sim a arte e descobrir a alegria que vem trazendo a sua experiência para a vida!

Então, você apenas leu a história de Peggy. Queremos saber a sua! Deixe-nos um comentário abaixo e conte-nos um pouco sobre sua jornada como um artista.

Para mais desenhos de Peggy Moore acesse o site dela.
comentário
Deixe seu comentário ou sua pergunta no espaço abaixo

95% das Pessoas que leram esse artigo, também leram os artigos abaixo:

Preencha os dados solicitados e receba o Seu E-Book Grátis por E-mail agora mesmo! 

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é desenhista profissional e professor de desenho. Especialista em ajudar pessoas a desenvolverem o seu talento para o desenho sem precisarem pagar por curso caros e demorados.

Website: http://comoaprenderadesenhar.com.br/