Um olhar nas ilustrações de Luis Royo

Às vezes você só precisa tirar um dia de folga e olhar para as coisas que você gostaria de poder fazer você mesmo. Obter alguma inspiração. Ou motivação para continuar desenhando.

Existem muitos grandes artistas por aí e é importante saber que tipo de desenho existem, pois torna mais fácil encontrar o seu próprio estilo.

Há os esboços simples, mas elegantes de E. H. Shepard (Winnie the Pooh) e Beatrix Potter (O Conto de Peter Rabbit).

Ou a complexa atmosfera de sonho criada por Alan Lee (O Senhor dos Anéis) e Liiga Klavina.

Há linhas limpas e coloração simples, ou ilustrações que parecem que se movem em seu quadro.

Os desenhos podem ser abstratos ou hiper-realistas. Digital ou físico.

Pessoalmente, nenhuma ilustração me atrai mais do que as do artista espanhol Luis Royo, que tem essa maneira ridiculamente sem esforço de desenhar que eu tanto admiro.

Você pode dar uma olhada nisso no final deste vídeo:

Luis era designer de móveis antes de decidir se comprometer com uma carreira nas artes. Sorte nossa.

Lentamente, mas certamente ele aperfeiçoou seu estilo até se tornar um dos maiores nomes em seu nicho.

Hoje sua arte pode ser encontrada na capa de romances (como de George R. R. Martin), revistas, CD’s, videogames, jogos de tabuleiro, quadrinhos e, claro, em sua própria obra de arte publicada, como livros, pôsteres e exposições.

Eu acompanho sua carreira desde que eu era adolescente e não estou decepcionado com a forma como seu estilo e técnica se desenvolveram.

Pintura de Luis Royo

Luis Royo tem essa incrível habilidade de escrever um romance inteiro com uma única foto.

Ele desenha uma cena no meio de qualquer história que ele tem em sua cabeça e deixa para os espectadores discrição e gosto para imaginar o antes e o depois.

Dessa forma, você pode se divertir por horas com um único desenho. Gênio, isso.

Especialmente sua série Dead Moon, inspirada na China imperial, é absolutamente linda.

Ele usa uma mistura de lápis, tinta e pistola de ar para dar a cada placa uma atmosfera mística e oriental que está em partes iguais hipnotizante e ligeiramente perturbadora.

Algumas de suas ilustrações são super realistas, algumas são mais como esboços, com muito pouca cor, e outras são quase abstratas.

Nunca há um único segundo de tédio quando folheamos esses livros.

Um bônus adicional é que esta série é (quase) adequada para a sociedade educada. Porque o Sr. Royo gosta muito de imagens provocantes, sensuais e uma peça com a morte.

Não sou contra o nu em geral, mas pode gerar conversas estranhas quando se fala de artistas favoritos.

Especialmente se metade de seus trabalhos apresentam mulheres nuas fazendo coisas indescritíveis com monstros e máquinas; ou descansando ao lado das cabeças cortadas de seus inimigos.

Quero dizer, olhe para esse uso glorioso de tinta apenas para os fundos. Não é coincidência ele publicar desde os anos 70.

Outra coisa maravilhosa sobre suas ilustrações é que elas podem nos ensinar muito sobre a jornada do modelo até a peça acabada.

Luis encontra suas inspirações através de uma infinidade de canais, ao ar livre e em casa.

Às vezes, uma rápida olhada em uma capa de revista parece suficiente para ele estar a meio caminho de uma nova obra-prima.

Ele pode ver uma fotografia que ele gosta, uma pose simples que acorda sua imaginação, e ele usa isso como base para recriar o mundo e a história ao seu redor em algo inteiramente novo.

Claro, ele também tem a habilidade de trazê-lo para a tela no final.

Luis Royo, "Fallen Angel IV" com inspiração de Laetitia Casta
Luis Royo, “Fallen Angel IV” com inspiração de Laetitia Casta
Luis Royo, "A Espera" com inspiração de Laetitia Casta
Luis Royo, “A Espera” com inspiração de Laetitia Casta

Naturalmente, ele não usa um modelo para todas as suas obras, e ele é bastante capaz de criar qualquer pose que ele gosta inteiramente por conta própria, mas é bom para nós meros mortais ver que há mais de uma estrada que leva a Roma.

Claro, seria um crime não incluir pelo menos uma rápida menção de Romulo Royo, que é claramente seu filho, mas também visivelmente um artista em seu próprio direito.

Alguns de seus temas também são deliciosamente asiáticos (esses caras estão em algo lá), mas com cores mais sutis e linhas mais suaves.

Romulo Royo, "Flores e Espinhos", acrílico e óleo sobre tela
Romulo Royo, “Flores e Espinhos”, acrílico e óleo sobre tela

Então, se em seguida você está planejando uma tarde preguiçosa, basta dar uma boa olhada na obra de arte recolhida do grão-mestre (e seu filho).

Admito que algumas das obras do Luis podem ser um pouco horríveis. E um pouco revelador.

Ele, francamente, não se importa com o que você pensa sobre sua escolha de assunto.

Mas precisamente por causa disso suas ilustrações são sempre interessantes e sempre dolorosamente bonitas.

Concorda comigo? Deixe um comentário sobre o que você achou dessas obras mostradas nesse post.

Valeu?

Grande abraço e vamos desenhar juntos!

Deixe seu comentário ou sua pergunta no espaço abaixo

Aprenda Desenho Realista com Carlos Damasceno - Baixe o Nosso E-Book grátis! ... Basta clicar no botão verde abaixo

BAIXAR E-BOOK NO TELEGRAM

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é desenhista profissional e professor de desenho. Especialista em ajudar pessoas a desenvolverem o seu talento para o desenho sem precisarem pagar por curso caros e demorados.

Website: http://comoaprenderadesenhar.com.br/