Desenhar em uma superfície plana ou inclinada – Qual a melhor opção?

Alguns de nós desenhamos em superfícies planas, como uma mesa, enquanto outros preferem desenhar em uma superfície inclinada, como cavaletes ou uma mesa de desenho.

Mas qual é a melhor opção? Qual configuração leva a mais precisão em nossos desenhos?

Neste post, vamos olhar sobre os prós e contras de cada arranjo e eu vou deixar você decidir qual é a melhor opção para você.

Considerando o conforto ao Desenhar

É importante estar confortável quando você esta desenhando. Quando seu corpo está confortável, é menos provável que você se distraia por causa da postura e com isso, você poderá devotar mais energia ao “ato” real de desenhar.

É mais provável que você se concentre nas linhas, formas e valores quando não tem que está se preocupando com as dores na parte inferior das costas. Não importa qual arranjo funciona melhor para você, você deve sempre considerar o seu conforto.

Desenhando em uma Superfície Plana

Desde que a maioria de nós começa nossa vida artística desenhando em uma superfície plana, faz muito sentido que muitos de nós fiquemos confortáveis em desenhar nesse ângulo. Aprendemos a escrever dessa maneira, então desenhar dessa maneira parece ser uma abordagem lógica.

Este arranjo também é mais acessível, pois a maioria de nós não tem precisa fazer muito esforço para conseguir uma mesa plana. Afinal, não é todo mundo que tem acesso a um cavalete ou a uma mesa de desenho.

Muitas pessoas são capazes de criar desenhos surpreendentes trabalhando em uma superfície plana, mas eu descobri que o desenho em uma superfície plana pode realmente dificultar o seu sucesso.

Para entender como isso pode acontecer, temos que entender como estamos vendo o desenho e como o ângulo pode afetar as marcas que fazemos.

Sabemos quão importante é “ver” para desenhar. O desenho é em grande parte sobre como vemos e entendemos objetos. As marcas que são feitas são importantes também, mas saber como ver como uma artista ver é primordial.

Quando observamos os objetos que desenhamos, normalmente os vemos a partir de um ângulo de 90º. Em outras palavras, posicionamos nossa cabeça para vê-los diretamente. Isto é especialmente verdadeiro quando estamos desenhando temas da vida, em vez de usar uma fotografia como referencia.

Em seguida, vamos para a superfície de desenho, lembrando o que vimos, e começamos a riscar para representar a nossa observação. Isto, em essência, é o processo de desenho.

O problema surge quando começamos a fazer riscos na superfície de desenho. Porque estamos trabalhando em uma superfície plana, o ângulo em que vemos o papel é diferente do ângulo que vimos o assunto.

Esta mudança no ponto de vista muda todos os ângulos que percebemos quando fazemos os riscos no papel, mesmo que ligeiramente. Mas pequenas variações nos ângulos podem levar a grandes distorções.

Isso ajuda a estar ciente disso, embora pequenas variações sejam quase inevitáveis.

A forma mais comum de distorção resulta em desenhos alongados. O aluno pode desenhar o assunto da vida, pensando que o trabalho está ficando preciso, só para levantá-lo e olhar para ele diretamente, percebendo a distorção.

Desenho em uma superfície inclinada

Um cavalete ou uma mesa de desenho fornece ao artista a capacidade de inclinar o desenho para melhor corresponder ao ângulo em que o assunto é observado.

Isso erradica grande parte da distorção que pode ocorrer quando se desenha sobre uma superfície plana.

Embora o ângulo possa não coincidir exatamente com a visão observada, ele está muito mais próximo do que realmente é observado pelo artista.

É por isso que a maioria dos artistas experientes prefere trabalhar em uma superfície inclinada. Trata-se de compreender como vemos o assunto e o ângulo em que gravamos as informações na superfície de desenho.

É muito mais fácil gravar o que vemos quando a superfície de desenho corresponde (ou corresponde aproximadamente) ao ângulo no qual vemos o assunto.

Outra vantagem de trabalhar em superfícies inclinadas é que é muito mais fácil olhar o desenho à uma certa distancia. Pode se afastar um pouco para julgar o progresso do trabalho é importante.

Isto é frequentemente usado quando observamos áreas que devem ser abordadas ou para verificar erros que precisam ser corrigidos.

Ao desenhar em uma superfície plana, você pode ficar em pé e olhar o seu desenho por cima, mas se você quiser avalia-lo corretamente, então você deve configurá-lo contra uma parede e se afastar para observar. Ao trabalhar em um cavalete ou mesa de desenho inclinada, podemos deixar o trabalho no lugar e simplesmente nos afastar para observar.

Pode não parecer uma grande diferença assim, mas permite um pouco mais de fluidez quando trabalhamos, mantendo nossa mente no desenho.

Pode ser difícil para os artistas iniciantes fazerem a mudança de uma superfície plana para uma superfície inclinada. É claramente diferente do que a forma como escrevemos e de como muitos de nós começamos a desenhar. Pode ser desconfortável no início, mas os benefícios de desenhar em uma superfície inclinada frequentemente superam a estranheza inicial.

Então, qual é o melhor ângulo para desenhar?

Agora, acredito que você possa está se perguntando: Qual o melhor ângulo para desenhar? Se aceitarmos que o desenho em uma superfície inclinada, embora possivelmente você fique desajeitado no início, produz uma melhor precisão em nossos desenhos, então é seguro assumir que deve haver um ângulo ideal.

Teoricamente o ângulo ideal deve corresponder ao ângulo no qual você está visualizando o assunto. Se você está desenhando o assunto da vida, então é provável que esse assunto esteja em um ângulo de 90º. Portanto, o ângulo mais ideal para fazer esse desenho seria de 90º também, com a superfície de desenho voltada para você diretamente.

Mas antes de começar a configurar o nosso cavalete, temos que considerar o primeiro ponto – “conforto”. Um ângulo de 90º simplesmente não é confortável para desenhar. É difícil inclinar a mão para fazer riscos controlados na parte inferior da superfície de desenho neste ângulo extremo.

Assim, embora 90º seja teoricamente o ângulo mais ideal, na prática não é.

Portanto, precisamos encontrar um “meio termo” entre plano total e 90º, e isso Vaira de artista para artista. Alguns preferem ângulos mais extremos, enquanto outros ficam satisfeitos com ângulos leves.

No meu caso, minha mesa de desenho é fixada em 55º que foi o ponto que eu mais me senti confortável.

Conclusão

No mundo da arte, a experimentação é sempre a sua “melhor amiga”. Experimente sua configuração e descubra o que funciona melhor para você. Embora o ângulo em que você desenha seja importante e afete o seu sucesso, a coisa mais importante é que você tenha prazer em desenhar. Não deixe a ausência de um cavalete ou de uma mesa de desenho te impedir de fazer os seus desenhos

Mais artigos sobre Materiais de Desenho

Fonte: http://thevirtualinstructor.com/blog/drawing-on-a-flat-or-tilted-surface-which-is-best
Deixe seu Comentário

Preencha os dados solicitados e receba o Seu E-Book Grátis por E-mail agora mesmo! 

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é desenhista profissional e professor de desenho.
Especialista em ajudar pessoas a desenvolverem o seu talento para o desenho sem precisarem pagar por curso caros e demorados.

Website: http://comoaprenderadesenhar.com.br/