Desenho de Pelos: Tutorial por Mike Sibley

Porque eu faço desenho de pelos de cães, recebo inúmeras solicitações sobre como desenhar cabelo. Esse exercício aparentemente simples é na verdade uma tarefa quase impossível.

Isso porque não só artistas tem estilos muito diferentes, mas até para atingir seus objetivos. No entanto, posso pelo menos apresentar a minha maneira de desenhar pelos e as técnicas que atendam o meu estilo e ambições … e, mesmo assim, acredito que vou deixar muito por dizer.

# 1 – Desenho de pelos – uma introdução

É ver para crer … mas não acredite em tudo que você vê …  O que eu quero dizer com isso é que você pode fazer um desenho realmente pelo por pelo e ficar realmente realista, mas existem técnicas que podem sugerir mais detalhes do que está realmente presente. E há uma série de “níveis” em que você pode fazer o seu desenho de pelos

Você pode, por exemplo ….

  • Escolher concentrar-se na forma subjacente tridimensional.
  • Parcialmente sobrepor o sombreamento de forma sólida, com uma semelhança de cabelo e textura.
  • Desenhar o próprio cabelo com a sua iluminação para definir a forma subjacente.

Qualquer nível é tão válida como qualquer outra, mas a minha preferência pessoal é para o último destes, uma vez que mais se assemelha a realidade.

Exemplo #1 de desenho de pelos: Um desenho encantador de um cão por Karen Gillies.

Você pde usar apenas tons para definir a forma do corpo, que concentra a atenção do espectador para os o
lhos. O artista concedeu pouca importância ao detalhe do desenho de pelos.

Exemplo #2 de desenho de pelos: Um cão Basset desenhado por Mike Sibley

Este desenho Basset mostra o uso do desenho de pelos como o único meio de expressar a forma tridimensional do corpo. Aqui, o branco do olho foi cuidadosamente preservado para atrair a atenção nesse sentido.

Note como a ilustração (acima) mostra o uso global de sombreamento – tratando o assunto como um único objeto tridimensional sem textura da superfície e aplicação de um regime geral de valores tonais.

Ao dar prioridade visual da forma subjacente, a presença de pelos é deixada quase inteiramente para a imaginação de telespectadores.

Na elaboração do Basset (acima) eu usei um sombreamento local – cálculo da reflexão da luz de cada pelo, ou mecha de pelos e observei como ele é desenhado e fui aplicando os tons necessários.

Nenhuma sombreamento global existe, mas todas as sombreamento local é ajustado com referência à sua posição dentro de todo o objeto.

Neste caso, foi dada prioridade à aparência exterior – a forma tridimensional é descrita apenas pelos cabelos, sua textura e luzes da superfície.

#2 – No desenho de pelos nem tudo é preto e branco …

Se todo “preto” fosse realmente preto e todo “branco” fosse puro branco veríamos nada além de formas planas, traços característicos, com contornos nítidos.

Mas nada na vida é tão simples – as reflexões da realidade e de absorção da luz desempenham um papel integral no que vemos.

São as luzes e sombras do pelo brilhante de um Labrador preto que nos dizem qual é a forma o cão – a estrutura subjacente nunca é vista abertamente.

O pelo, apenas o pelo, define a sua forma tridimensional. O mesmo é verdadeiro com um Poodle branco, exceto que a ênfase é invertida – as sombras jogam uma parte maior do que os destaques.

Mas há também um outro aspecto que é tão verdadeiro para cada um no processo de desenho de pelos…

Um risco de lápis não é um cabelo

Eu não posso repetir isso muitas ou muitas vezes – Um risco de Lápis não desenha os pelos. O risco do lápis apenas define a posição e a forma dos pelos..

Bem, isso pode ser um pouco simplista demais, pois, haverá ocasiões em que um fio de cabelo escuro se sobrepõe um pedaço de cabelo branco e exigir um risco de lápis.

E riscos lápis certamente adicionam os valores tonais necessários para os pelos. Mas, em geral, o uso de uma linha de lápis não representa um cabelo, porém forma o limite entre os cabelos.

Forma Negativa e Forma Positiva …

Desenho de pelos é sobre desenho positivo e negativo (ver introdução ao desenho negativo ) e cada um tem que ser entendido corretamente antes que você possa facilmente combinar os dois e reproduzir o pelo com um senso de realidade.

Como afirmei acima, vemos os cabelos pretos por causa de seus brillhos e cabelos brancos são percebidos por causa de suas sombras.

Em ambos os casos, os cabelos são visíveis devido às suas propriedades de “negativas”. Na prática, você não desenha o pelo, mas a sombra ou o brilho de cada um.

Para pelos pretos o brilho vai variar de branco total, de uma série de escurecimento cinzas e por fim o preto – porém os tons mais escuros disponíveis devem ser reservados para as sombras positivas que definem as bordas de pelos pretos e não para os próprios pelos.

Esta é a chave para o desenho negativo, a técnica que você deve aprender. E quando você tiver desenhando, concentre toda a sua atenção não nas linhas reais que você está desenhando, mas nos espaços entre elas.

Em comum com a pintura em aquarela, o único branco disponível para o artista de grafite é o branco do papel. Para produzir uma linha branca, você deve definir essa linha, e para isso você vai precisar desenhar tons escuros em volta dessa linha branca.

Portanto a linha que está desenhando não tem importância em si mesma. Mas o espaço entre as linhas é que é primordial.

São linhas pretas no branco ou linhas brancas no preto? 

Certamente se trata de linhas pretas desenhadas em papel branco, por isso podemos afirmar que as linhas pretas desenhas são as Formas Positivas desse desenho acima.

Mas esse desenho abaixo não parece que são linha brancas desenhadas sobre preto?

Realmente eles parecem ser assim porque o preto define seus limites. Porém o preto é desenhado exclusivamente para criar o branco. Isto é Forma Negativo de desenho.
A folha é um exemplo de desenho positivo. As linhas de lápis fornecer as marcas dominantes.

Já o desenho dos pelos brancos do bigode do cão acima são um exemplo de desenho negativo. As linhas de lápis servem apenas para definir os pelos brancos dominantes.

Uma combinação – A sombra positiva traçada é estendida para cima e para baixo nas áreas adjacentes negativo desenhadas.

Como isso é feito?

Sempre que possível, eu trabalho do escuro para a luz. Isso poruqe de um ponto de vista puramente prático, é muito mais fácil de adicionar posteriormente uma área escura encima de uma área clara. Isso me permite desenhar em uma direção e só depois retornar e continuar na direção oposta.
O ouvido mostrado acima (e aquele que eu estou a ponto de demonstrar) é o ouvido do lado esquerdo desta bela Border Collie.

Desenho de Pelos – Demonstração

Gostaria de trabalhar nesta área em quatro fases distintas ….

Fase 1:
Tendo encontrado a minha área de sombra negra a partir da qual trabalharei, a sombra é mais ou menos estabelecida e a borda superior cuidadosamente elaborada para a área acima para definir os cabelos mais leves.
Lembre-se, eu estou desenhando as sombras entre os cabelos aqui. Os “pelos” brancos são deixados em branco até a próxima fase.
Fase 2
Trabalho a partir de escuro para a luz, a aba da orelha é desenhada de fora para dentro da sombra.
Este é o desenho negativo como em todos os casos eu desenhei as sombras entre os pelos e não os próprios pelos.
Uma vez que estes pelos são definidos, o tom é aplicado para dar-lhes a sua correta modelagem tridimensional.
A iluminação é continuamente ajustada para se obter a forma tridimensional desejada.
Fase 3:
Novo desenho é enxertado na sombra escura, uma vez que se estende para baixo na área abaixo.
Se alguns dos fios de luz precisar voltar-se para a sombra, isto pode ser conseguido com uma borracha limpa-tipos (ou borracha moldável) – uma linha de grafite retirada da sombra é redefinida e misturada na linha de luz abaixo.
Fase 4: 
Os destaques negativos desenhados estão fechados, trazendo as duas linhas de limite exterior juntos em uma só.
Estes formam agora uma linha positiva que é desenhada até o ponto de completar o fim de cada pelo.

Conclusão …

Trabalhar uma pequena área de cada vez fará o seu projeto global muito mais fácil de lidar mentalmente e fisicamente, e irá mantê-lo firmemente no controle.

Por isso, não fique tentado a trabalhar em todo o desenho de uma só vez e nem tente preencher as áreas inteiras com um único tom.

Bem, sim – eu sei que o desenho ficará mais completo muito mais rápido … e você pode sentir que ele está ajudando a estabelecer forma, mas cuidado -. os destaques brilhantes que você pode mais tarde desejar criar não será mais possível, resultando em uma perda distinta da vida e da profundidade tonal.

Decida sobre a direção da luz, considere a posição de cada pelo que você definirá e aplique a iluminação em conformidade.

Definindo seus pelos e depois calculando e adicionando tom local específico, irá dar-lhes uma realidade maior – não use tonificação global e espero que você vá trabalhar localmente.

Tradução do tutorial de Mike Sibley

Se você prefere ler em inglês clique aqui

http://www.sibleyfineart.com/tutorial–draw-hair.htm

Para saber mais sobre desenho de pelos, veja esse outro artigo: Como desenhar as listras de um tigre em 9 passos simples

Deixe seu comentário ou sua pergunta no espaço abaixo

Aprenda Desenho Realista com Carlos Damasceno - Baixe o Nosso E-Book grátis! ... Basta clicar no botão verde abaixo

BAIXAR E-BOOK NO TELEGRAM

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é desenhista profissional e professor de desenho. Especialista em ajudar pessoas a desenvolverem o seu talento para o desenho sem precisarem pagar por curso caros e demorados.

Website: http://comoaprenderadesenhar.com.br/