Como vencer a Síndrome da Página Em Branco nas Artes

Como vencer a Síndrome da Página Em Branco nas Artes

Síndrome da Página Em Branco

Soa familiar? Você tirou a tarde de folga, você pegou os seus lápis (ou pincéis), mas você simplesmente não consegue fazer nada no papel.

Então, ao invés de desenhar, você vai lavar os pratos, ou preparar o jantar, ou assistir um pouco de TV.

Vai fazendo várias coisa, até que fica de noite e tarde demais para começar qualquer desenho.

O que é síndrome da página em branco?

A síndrome da página em branco é geralmente associada ao bloqueio do escritor, mas é uma coisa entre qualquer profissão criativa, incluindo nós artistas.

E pode ser qualquer coisa, desde levemente inconveniente até paralisação total.

É uma situação frustrante quando você quer desenhar ou pintar, mas você simplesmente não consegue fazer isso.

Então você acaba fazendo basicamente qualquer outra coisa e horas, dias, até semanas podem passar sem você ter desenhado uma única linha.

E o pior? Você nem sabe por quê.

Você obviamente gosta de desenhar, ou então você não se importaria.

Você tem as habilidades (pelo menos o suficiente para desenhar algo no papel) e você não está sob nenhum estresse particular ou pressionado por tempo também. E ainda assim, nada.

A fim de superar o “bloquei do artista” e começar e no seu melhor caminho para uma nova obra-prima eu preparei esta lista útil para você seguir.

1 Entre no clima

A mentalidade certa, para qualquer tipo de atividade, é muitas vezes mais importante do que as pessoas imaginam.

Não adianta planejar uma tarde artística quando sua cabeça não está no jogo e você está na verdade é pensando sobre o que fazer o feriado ou em alguma outra coisa, menos em desenho e pintura.

Nesses casos, quando você tem certeza de que vai ficar pensando em mais coisas que precisam pensar, simplesmente pegue um pedaço de papel e nele, você vai escrever rapidamente tudo o que aparece em sua cabeça.

Depois de escrever você vai ver que não vai mais precisar ficar pensando nisso o tempo todo, pois saberá que está anotado pra ser resolvido mais tarde.

No livro Produtividade para quem quer tempo: Aprenda a produzir mais sem ter que trabalhar mais do Coach Geronimo Theml, essa lista de tarefas é chamada de Lista do Tem Que… para saber mais recomento ler o livro… Vale a pena

Mesmo que você não esteja ocupado planejando nada, você vai ter que aceitar que às vezes você simplesmente não está no clima.

Talvez esteja cansado, ansioso ou zangado com alguma coisa.

Você pode simplesmente encerrar o dia e adiar a sessão de desenho até ficar menos distraído, ou você pode tentar ajudar as coisas junto com um pouco de incentivo.

Pessoalmente, acho que criar uma atmosfera extra aconchegante ajuda meu humor artístico ao longo de um bom tempo.

O que eu mais gosto de fazer é entrar no YouTube e deixar rolando alguns vídeos de aulas de desenho.

2 Defina um período de tempo

Essa dica parece tão óbvia, mas muitas vezes é ignorada.

Não planeje apenas “desenhar um pouco”, estabeleça um prazo real.

Diga, você vai se sentar por uma hora, sem interrupções as 16:00h da tarde de domingo.

Certifique-se de que você está “regado e alimentado” antes de começar, em seguida, desligue seu telefone e não se levante antes que a hora acabe.

Você pode usar um aplicativo de monitoramento de tempo para ajudar com isso, como o cronometro do seu próprio celular.

É incrível a frequência com que quebramos nossas boas intenções e ainda fazemos outra coisa “rapidamente”, seja embalando a mochila para ir a academia no intervalo do almoço no dia seguinte ou tirando o frango do congelador.

Qualquer uma dessas atividades pode esperar uma hora sem sua vida cair em ruínas.


É incrível quantas responsabilidades de repente lembraremos quando nos sentarmos para uma sessão de desenho.


Sim, tudo isso faz com que o desenho soe mais como uma tarefa do que um passatempo divertido, mas com tantas distrações e entretenimento viciante, estilo fast-food, como Netflix e mídias sociais em nossas vidas diárias, às vezes só precisamos nos forçar a fazer o que é bom para nós.

3 Silencie essa parte julgadora do seu cérebro

Este é um tipo diferente de mentalidade que pode precisar ser corrigida, se você estiver propenso à síndrome do impostor.

Muitos de vocês vão conhecer o sentimento, você está apenas começando a fazer as primeiras linhas naquele papel e já há aquela parte escura na parte de trás de sua mente revirando os olhos e balançando a cabeça.

Veja como seu trabalho é inadequado, por que você está se preocupando em continuar? E chegar a isso, por que perder tempo com isso? Claramente você tem outras coisas que pode fazer e que você é melhor, como lavar roupa, ou fazer um curso para o seu trabalho real. Deixe as artes para os profissionais, por que você não leva jeito.

Não há absolutamente nada mais tóxico para o prazer em qualquer tipo de hobby do que querer se destacar nele. Além de talvez se comparar com os outros.


Não há nada mais tóxico para o prazer de qualquer tipo de hobby do que querer se destacar nele.


É por isso que você realmente deve tentar parar de fazer qualquer um dos dois.

Como diria o sábio Julian Smith: “O objetivo não é ter sucesso, apenas sentar e fazê-lo”.

4 Decida antecipadamente o que desenhar

Idealmente, você escolherá possíveis assuntos em momentos em que você não está desenhando.

Isso vai poupar muito tempo e frustração mais tarde quando você está realmente sentado para desenhar.

Sempre que você vê algo acontecendo sobre sua vida diária basta tomar uma nota disso se você acha que pode valer a pena alguma atenção artística.

Pode ser assim que a luz da manhã cai na janela da sua cozinha nesta época do ano, ou aquela cena no filme que você assistiu ontem à noite.


Se você tiver o hábito de colecionar assuntos para desenhar quando você não está sendo criativo, poupará muito tempo e frustração na hora de desenhar.


Muitos estudantes de desenho tem uma pasta com assuntos que podem desenhar, e assim, nunca falta inspiração.

Toda vez que me deparo com algo bonito, tiro uma foto ou corto de uma revista e guardo para um dia chuvoso, por assim dizer.

Mas tenha em mente não negligenciar o desenho da vida real, pois essa é a melhor opção para melhorar suas habilidades.

Eu também colecionei 101 ideias de desenho para você no caso de você ficar preso.

Porque as chances são, se você ainda não sabe o que você quer desenhar quando você realmente tem tempo para isso, você não será capaz de pensar em nada tão facilmente.

É como alguém te pedindo para “dizer algo engraçado”.

Mesmo que você seja geralmente saiba muitas piadas, nesse momento sua mente provavelmente passará em branco.

5 Pense na sua composição

Conhecer seu assunto é um bom primeiro passo, mas você também precisará considerar em que parte dele você quer imortalizar e no que você quer se concentrar.

Aqui no blog já tem um post sobre isso, por isso, vamos apenas passar por cima do básico absoluto.

Você pode encontrar mais informações sobre a composição neste post bastante

Digamos que você decidiu esboçar seu jardim porque ele fica sempre tão bom em suas cores de outono.

Você vai querer pensar sobre qual parte do seu jardim desenhar. Talvez aquela bela árvore com os arbustos por trás, ou quem sabe qualquer outra parte.

Se você sabe que formato você quer fazer o seu desenho (paisagem, retrato, quadrado etc.) você pode então planejar onde colocar o seu ponto focal no papel (a árvore, por exemplo), pois isso afetará o que outras partes esquerda e direita dele você pode mostrar também.

Se você achar isso difícil, você pode comprar um visor (ou apenas fazer o seu próprio a partir de um pouco de papelão).

Pense na sua composição

O ponto focal, é claro, é a parte do seu desenho em que você vai gastar mais tempo, pois é o que mais chama a atenção do espectador.

normalmente colocar o ponto focal um pouco para o lado em vez de diretamente centrado na página torna uma composição mais interessante (isso é parte da regra dos terços), mas isso depende inteiramente de você.

Planejar tudo isso ajudará a peça a tomar forma dentro de sua mente e tornar o ato real de obtê-lo no papel muito mais simples.

6 Trabalhe sua agenda e se atenha a ela

Você provavelmente já decidiu se vai trabalhar com lápis ou carvão (ou aquarela, acrílicos etc) para a sessão de hoje, mas também é uma boa ideia escolher de antemão que tipo de desenho você vai fazer.

Especialmente se você tem um prazo limitado você não quer desperdiçá-lo tendo suas abordagens em todo o lugar e não recebendo nada que valha a pena com isso.


Antes de levantar o lápis pense se você vai se concentrar em vários esboços rápidos hoje ou fazer um desenho detalhado.


Você não acreditaria com que frequência eu comecei uma sessão de esboço rápido e acabei gastando meia hora em alguns detalhes intrincados, antes de seguir meu próprio conselho sobre este assunto.

Você vai praticar sombreamento hoje? Ou talvez desenho de gestos? Ou talvez você só queira criar algo bonito que você possa pendurar na parede ou colocar em seu portfólio?

De qualquer forma, saber disso antes de começar vai ajudá-lo a não perder o foco.

7 Aquecimento não é apenas para atletas

Se você acha que pode criar uma obra-prima desde o primeiro minuto que sentar, pense novamente.

Artistas profissionais sabem da necessidade e do valor do aquecimento primeiro, então vamos dar alguns conselhos.

Fazer alguns esboços rápidos para aquecer a sua mão e seu olho é tão importante para um artista quanto alongamento é para um atleta.

Desenhar requer uma maneira diferente de ver do que suas atividades cotidianas, por isso é bom dar à sua mente alguns minutos para se ajustar.

Eu costumo dar-lhe cerca de 10 minutos, usando o papel mais barato que eu posso encontrar para não desperdiçar os bons Moleskines.

Eu só faço alguns exercícios rápidos de aquecimento, consistindo de linhas, padrões e formas.

Depois disso, começarei a desenhar aleatoriamente o que puder encontrar ao meu redor por mais alguns minutos, ou uso o que está na minha pasta de assuntos (veja acima).

Tudo isso vai direto para a lixeira quando eu terminar, então isso tira a pressão.

8 Faça um plano, na página

Então, você tem o seu assunto, você sabe onde você quer o seu ponto focal e em que estilo você vai desenhar hoje. Já era hora de chegar lá.

Em vez de começar a desenhar em um ponto aleatório na página e trabalhar a partir daí, é sempre melhor desenhar um contorno muito solto primeiro, para que você saiba onde tudo vai ficar.

Isso ajuda a descobrir onde os objetos que você está desenhando estão em relação uns aos outros e a descobrir diferenças de tamanho antes que seja tarde demais.

Nada pior do que ter aquela cena de jardim quase terminada e então perceber que o banco acabou quase na mesma altura que a árvore.

Ele também garante que você use sua folha ou espaço de tela, para que você não tenha muito espaço em branco nas laterais ou que parte do seu desenho fique pela metade por não caber no papel.

Acho que é mais fácil se você começar com caixas simples (certifique-se de que as linhas são claras o suficiente para apagar depois) e, em seguida, basta desenhar os contornos dos objetos dentro.

Faça um plano, na página

9 Comece com seu foco principal

Uma vez que você tenha o seu contorno e saiba onde tudo vai no papel, você pode começar a criar sua próxima obra-prima de verdade.

Ao desenhar a melhor maneira é muitas vezes começar pelo seu ponto focal principal.

Na pintura às vezes você tem que fazer o fundo primeiro, especialmente quando é uma grande área com sombreamento de cores consistente ou um gradiente, como um céu de cor de água, por exemplo.

Seu ponto focal provavelmente será em cima disso, então o fundo precisa ser feito primeiro.

Porque o seu ponto focal é a parte mais importante do seu desenho e aquele que você quer gastar mais tempo e vai querer ter certeza de dar-lhe a atenção que ele merece desde o início.

Se por alguma razão você não acertar a “atração principal”, é muito menos doloroso começar de novo quando você não está quase terminado.

Além disso, se você descobrir que não tem tempo para terminar ou simplesmente perder o interesse no assunto sua peça ainda pode parecer muito boa apenas sugerindo as outras partes, desde que o foco principal seja feito.

Desenho de Ross Winans por James Abbott McNeill Whistler como exemplo de ponto focal detalhado, mas descanso "inacabado"
Desenho de Ross Winans por James Abbott McNeill Whistler como exemplo de ponto focal detalhado, mas descanso “inacabado”

10 Esboce regularmente

Eu sei, nem sempre ouço meus próprios conselhos neste assunto. Muitas vezes eu não desenho por semanas e depois desenho por horas a fio para compensar isso. Eu juro que estou tentando mudar.

Porque a verdade é que, se você fizer do desenho uma atividade regular, sua mente vai lutar muito menos contra ela quando você realmente sentar-se para desenhar.

O objetivo é deixar de ver a arte como um evento especial.

Enquanto o desenho for algo fora do comum, sua mente tentará justificar o adiamento dessa intrusão em sua agenda diária e encontrará tempos “mais adequados” para ele, quando deveria fazer parte dele.


Você deve ver a arte como parte de sua programação semanal, não uma distração ou intrusão.


Há sempre algo mais que você poderia estar fazendo e você nunca está no clima perfeito para isso (seja honesto, quem de nós não está quase constantemente ansioso, estressado ou preocupado nos dias de hoje?).

Se você desenhar com frequência, idealmente todos os dias, a atividade se tornará parte da sua programação, e algo que você “apenas faz”, sem debate mental.

Agora é com você… pegue seus lápis e vamos desenhar juntos!

Deixe seu comentário ou sua pergunta no espaço abaixo

Aprenda Desenho Realista com Carlos Damasceno - Baixe o Nosso E-Book grátis! ... Basta clicar no botão verde abaixo

BAIXAR E-BOOK NO TELEGRAM

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é desenhista profissional e professor de desenho. Especialista em ajudar pessoas a desenvolverem o seu talento para o desenho sem precisarem pagar por curso caros e demorados.

Website: http://comoaprenderadesenhar.com.br/